Notícias

PARCERIA

Perito de Tocantins realiza missão pericial em Mato Grosso

23/10/2017 - 17:23
Tita Mara Teixeira/ Politec-MT

O Perito Oficial Criminal Wanderson Santana Rocha, do Instituto de Genética Forense de Tocantins, desembarcou em Cuiabá na última semana para mais uma Missão Criminalística. Ele conta com o apoio da Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso (POLITEC-MT) no processamento de exames periciais de DNA daquele Estado.

A missão tem por objetivo a resolução de cinco casos de identificação genética do Estado de Tocantins, todos de repercussão, e em fases judiciais. A atividade é fruto de um Termo de Cooperação mútua entre os Estados, que prevê o apoio tanto no suprimento de materiais como na utilização dos equipamentos.

Segundo o perito Wanderson, o Laboratório de DNA da Superintendência de Polícia Científica de Tocantins está sendo estruturado e ainda não possui todos os equipamentos de ponta necessários, os quais a Politec de Mato Grosso dispõe.

”Temos o convênio com os Estados de Mato Grosso e Goiás para a realização dos exames e produção dos laudos. Agradeço pelo apoio da Politec que tem sido fundamental para a resolução desses casos. Todos os materiais já estão em adiantado processamento e esperamos que comecem a ter os resultados’’, afirmou.

Entre os casos analisados pelo perito estão crimes de estupro, homicídio e identificação humana, registrados entre os anos de 2014 a 2017. Em contrapartida pela cessão dos equipamentos, o Instituto de Identificação Genética de Tocantins fez a doação de um kit de reagentes químicos e luvas periciais ao Laboratório Forense da Politec. A missão criminalística começou no dia 16 e segue até o dia 27 de outubro.

Parceria

A parceria interinstitucional entre os Estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins possibilitou em novembro de 2016 a conclusão de 16 casos de identificação que aguardavam pelo DNA Na Diretoria Metropolitana de Medicina Legal de Cuiabá.

As amostras das vítimas e de seus parentes tiveram o DNA extraído e purificado pela Coordenadoria de Perícias em Biologia Molecular da Politec e levadas ao Laboratório Forense de Goiás para o procedimento de amplificação do DNA, utilizando reagentes químicos que fazem cópias dos fragmentos de DNA. Já a Superintendência de Polícia Científica de Tocantins colaborou com a doação de kits de reagentes para a extração dos materiais genéticos, na ocasião.

A identificação genética é realizada quando não há preservação das impressões digitais ou da arcada dentária para a aplicação de outros métodos oficiais de identificação (papiloscopia ou odontologia legal), devido ao avançado estado de decomposição dos corpos.