Notícias

LABORATÓRIO FORENSE

Dados da produtividade da Politec são avaliados pelo Diretor Geral

17/10/2018 - 13:30
Assessoria - Politec/MT

Até setembro de 2018 foram produzidos 9.908 laudos na DMLF. Os meses de julho e agosto apresentaram os maiores picos de atendimentos periciais do laboratório. Nos meses de maio e setembro, quase a totalidade dos laudos requisitados foram concluídos no mesmo mês.

No decorrer de oito meses, a Coordenadoria de Perícias em Biologia Molecular concluiu 441 laudos, dos quais, 102 são de DNA e 339, de Biologia Forense. A Coordenadoria do Laboratório de Materiais concluiu 9.467 laudos, sendo 8634 laudos de Química Forense e 833 de Toxicologia Forense. 

“Precisávamos mudar os números da avaliação do nosso último diagnóstico em todas as gerências do laboratório. Neste aspecto, nós executamos uma força tarefa que atendesse a principal fonte de demanda que é o laboratório de Química e Toxicologia. Fizemos um trabalho de conscientização e avaliação que era preciso ter um atendimento maior, e isso conseguimos fazer, com o atendimento maior que a demanda. Estamos no momento de avaliar os pontos positivos e de que forma podemos replicar em outras áreas com mais regularidade’’, avaliou o Diretor Metropolitano de Laboratório Forense, Paulo Sérgio Vasconcelos de Oliveira.

Um dos exemplos de ações implementadas e que surtiram efeito durante o ano foi a execução de atendimentos em maior escala, realizando os exames definitivos de drogas também do final de semana. “Com relação a toxicologia, conseguimos vencer os passivos de alcoolemia. Na Biologia houve uma acréscimo na produtividade com o apoio de um perito que reveza as atividades entre as seções de Química e Biologia. A próxima meta, até o final do ano, é trabalhar para a diminuição do passivo de exames não realizados, para que os índices não ultrapassem os 12%’’, estima  o diretor.

Os dados referentes à produtividade de cada diretoria são compilados e apresentados periodicamente pelo Coordenador de Informações Institucionais Alcides Liberali e discutidas em conjunto com gestores de cada pasta e a Direção Geral.

O objetivo é acompanhar os números da produtividade e as situações de cada diretoria, com o intuito de proceder ajustes ou correções necessárias para o cumprimento das metas estabelecidas no planejamento estratégico.